Mercadão de Irecê, um patrimônio do Sertão da Bahia

Estava na maior expectativa de conhecer o famoso Mercadão de Irecê, fiquei imaginando como seria, tomando como base outros mercados que conheço no interior. Mas fui totalmente surpreendida por esse mercado que funciona de domingo a domingo, mas funciona mesmo com todos os boxes funcionando de verdade. Mas o que mais me surpreendeu além da variedade de produtos, foram três c coisas em especial: Organização, Limpeza e a Simpatia dos Feirantes.
Observem nas fotos a limpeza do piso e das paredes, fiquei impressionada, esse é o padrão que deveríamos encontrar em todos os Mercados Públicos. O Mercadão é responsável por abastecer todo o Território de Irecê que tem 19 municípios, por isso tanta fartura.

Reparem na limpeza desse piso, das paredes, e as mesas todas forradinhas.

As cozinhas limpas, organizadas. Tudo muito caprichado. A praça de alimentação é reservada e a pessoa pode comer com tranquilidade. O cardápio tem bode, carneiro, buchada, mininico, sarapatel, ensopadinhos, bolo de leite, brevidade, cuscuz, comida sertaneja de verdade.


Olha o bolo de leite, fatias caprichadas.


Ervas, sementes, cascas, garrafadas, tem muita variedade e com indicação de uso. 
A farmácia do sertanejo.




 Muitos temperos com preços bem baixinhos. Essa parte do Mercadão é um perfume só. 


Os famosos cortadinhos não faltam no Mercadão, tem de abóbora,  abóbora com quiabo, maxixe, couve e o meu preferido: Palma. Quem pensa que praticidade só se encontra nas capitais é porque não conhece o interior da Bahia. Os cortadinhos já estão a venda prontinho para usar.

 

Bode e Carneiro tem de qualidade, todo limpinho.
 Fazer um ensopadinho para comer com cortadinho é uma boa pedida. 


Mas se quiser incrementar é só optar pela buchada, essas estão preparadas no capricho.


 Os pés do bode fazem parte da buchada. Para enriquecer o prato.



Esse foi um encontro especial, eu estava procurando  o famoso doce de gergelim de Irecê, fui encontrar nesse cantinho do Mercadão. A banca é bem variada, tem feijão verde e andu catados na hora, feijão de corda, feijão miúdo, andu seco é o que mais tem. Mel, melaço, doces caseiros, paçoca e doce de gergelim.


Quando pergunto quem faz a paçoca e o doce de gergelim, ela responde num sorriso: "meu marido, eu não tenho tempo pra isso, já trabalho demais, e tem que ter paciência para catar o gergelim, separar, fazer o doce e pilar a paçoca no pilão, é muito trabalho minha amiga, deixa isso pra ele fazer"


A paçoca é boa mesmo, e o doce é tão bom que vende tudo rápido, só achei um pedaço e comemos logo que nem lembramos de tirar foto. Faço o registro outra vez. A base da paçoca e do doce é a mesma: rapadura, gergelim e  farinha de mandioca.


O Mercadão é uma fartura só


 E isso foi em plena segunda feira.


Olha a elegância dessas duas feirantes. 


Longo, lantejoula, maquiagem e penteado caprichados.
Repara no detalhe do avental vermelho. Pura elegância.


Já comprei meu chapéu para enfrentar o sol do sertão.


 Os feirantes dão show de simpatia, a prosa com eles é muito fácil, parece que somos amigos de longas datas. Assim acabo comprando tudo nesse Mercadão.


Já sei que vou levar na bagagem arroz vermelho, andu seco, polvilho artesanal, requeijão....


 Isso é que é saber cativar o freguês, água fresca na talha. Esse Mercadão é ou não é muito especial?


Água e cafezinho para a freguesia ficar feliz. Aproveito e compro logo minha rapadura.


 Tá precisando de fifó, talha, filtro, espanador, panela de barro, moringa, banco de couro de bode, rolha, ralo, cabideiro? Tem tudo aqui no Mercadão de Irecê. E mais uma vez para um dedo de prosa com meus amigos, aprendendo um pouquinho mais sobre a vida no sertão.


Olha que isso aqui tá muito bom, isso aqui tá bom demais.  Garanto logo meu estoque de colorau, açafrão em pó e raiz, cominho, gengibre e outras coisitas.


Aqui eu comprei meu doce de rapadura.  Na realidade é doce de leite feito com rapadura, mas todo mundo na cidade chama de doce de rapadura. Tem opção puro e com coco ralado. É muito bom.


Brevidade de Rapadura, feita com ovos caipira, polvilho artesanal, rapadura e cravo, um luxo, sem glúten, sem lactose e sem gordura. O sertão é saúde.
De quebra compro também manteiga de garrafa que indispensável na minha cozinha.


 Essa brevidade é boa demais, super leve e muito saborosa. Toda natureba. 
Ovo caipira, rapadura, polvilho artesanal e cravo.

 
Doce de Rapadura: rapadura, leite e coco. Muiiiito bom!


Paçoca de Gergelim: Rapadura, Gergelim, Farinha de Mandioca. Feita no pilão como manda a tradição.  Alimento altamente energético.


Viva o sertão brasileiro! Viva a agricultura familiar! Viva o pequeno produtor!
Amo tudo isso.  Amo meu trabalho.


Comentários

Postagens mais visitadas