segunda-feira, 30 de setembro de 2013

As mulheres da Gastronomia e do Turismo de Valença


Andrelina Nascimento, chef de cozinha do Hotel Portal Rio Una. Comanda sua equipe com muita tranquilidade e sempre com um sorriso  nos lábios. Jovem corajosa e cheia de disposição para aprender e abraçar novas ideias, seus deliciosos pratos são o reflexo disso. 


 Rosy Silva, comanda com competência e dinamismo o Restaurante Mega Chic, que fica localizado na beira do Cais de Valença. O Restaurante que foi criado pelo pai de Rosy, sr. Antonio Oliveira, tem um cardápio bem diversificado, mas com forte presente da culinária regional.


D. Mara, proprietária e chef de cozinha do Restaurante da Mara.  Ex-marisqueira, trás para o seu restaurante todo conhecimento e vivência da culinária de Valença e da  Costa do Dendê. Hoje toda a família de D. Mara trabalha na administração do Restaurante, para que ela possa ter dedicação total a criação e execução dos seus saborosos pratos.


Aline Reis, jovem dinâmica, inteligente e carismática, está no comando da atuante Secretaria de Turismo de Valença. Com muitas ideias e cheia de disposição para dinamizar o turismo da cidade, ainda encontra tempo para abraçar novas propostas em que acredita. Grata Aline, pela boa vontade que tem tido em nos mostrar os encantos de Valença.

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Peixes Secos - Valença Bahia



A secagem de peixes em Valença é uma atividade tradicional das famílias dos pescadores. Os  barcos chegam  com o resultado da pescaria e toda a família se junta para fazer o trabalho em regime de mutirão: triagem dos peixes, limpeza, tratar, salgar, colocar para secar, fazer as enfieiras, formar os maços.....


Esse é um maço de sardinhas secas, já prontas para serem vendidas na Feira de Valença.


Esse maço é de vários tipos de peixes.


Eu na feira, comprando meus peixinhos salgados, já tenho um monte de planos de como vou usar. Mas de uma coisa tenho certeza, não vou preparar da forma que fazia quando eu era criança. Na minha infância eu tinha meu material de cozinha particular: fogareiro e panelas de barro, eram esses meus instrumentos de trabalho/brincadeira. Aos sábados eu ia a Feira da minha cidade e fazia "minhas compras", esses peixinhos já fazia parte da minha listinha.  Mas como toda menina apressadinha, eu não tinha a mínima paciência para fazer o dessalgue dos peixes, acendia o carvão no meu pequeno fogareiro de barro e colocava logo meus peixinhos para assar,depois era só comer com farinha de mandioca bem fina e torradinha.
Menina corajosa eu era, o peixinho tinha tanto sal que partia a língua.   Depois era beber só beber muita água e  comer rapadura pelo resto do dia.  
Minha mãe dizia que eu era uma cozinheira maluquinha. 
Mas que meus peixinhos eram uma delícia, com certeza  eram. 

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Vatapá - Manjar dos Deuses


Eu que tô nessa fase do Azeite de Dendê,  não poderia deixar de fazer um bom Vatapá.
Ando indo sempre a Costa do Dendê pesquisar os ingredientes culinários da região, claro que vou pesquisando e experimentando as maravilhas de pratos que são feitos com esses ingredientes.
Valença, que é conhecida como a terra do camarão, dos peixes e frutos do mar, das especiarias, dos diversos tipos de inhame, do azeite de dendê, tem influenciado e muito as minhas preparações.
Trouxe de lá um azeite de dendê, produzido de forma artesanal, que tem dado um sabor e aroma todo especial aos meus pratos.
Esse Vatapá da foto fiz tendo como base a receita do Restaurante Senac - Pelourinho, Templo da Gastronomia Baiana.


Vatapá
Ingredientes
Pão dormido – 400 g
Leite - 500 ml
Cebola ralada – 300 g
Azeite de dendê – 200 ml
Camarão seco inteiro – 40 g
Camarão seco moído – 100 g
Castanha de caju moída – 60 g
Amendoim moído – 60 g
Gengibre ralado – 1 colher de chá
Leite de coco – 200 ml
Caldo de peixe – 800 ml
Sal

Modo de Preparo
Corte o pão em pedaços pequenos, coloque de molho no leite até inchar, em seguida bata no liquidificador com o leite de coco.
Refogue no azeite de dendê a cebola,  o camarão moído, a castanha e o amendoim. Acrescente o pão, caldo de peixe e o gengibre. Cozinhe mexendo sempre, até obter uma consistência pastosa e soltando da panela.
Transfira para uma travessa e decore com os camarões inteiros.


Dica  Sirva acompanhado de moqueca de peixe ou xinxim de galinha.

Caldo de Peixe: Pode utilizar o caldo da Moqueca que esteja fazendo para acompanhar o vatapá ou então fazer um caldo utilizando cabeça de peixe, cebola, coentro, cebolinha, água, cozinhar até apurar bem o sabor, coar e utilizar no preparo do Vatapá.

Como aqui em casa tem alérgico a camarão, quando tenho que fazer vatapá para a família, não utilizo o camarão. Faço a substituição aumentando a quantidade de castanha e amendoim moídos.

Laurentino Pães - A Maravilha dos Pães Artesanais


Essa maravilha de pão artesanal  é produzido por Laurentino Pães, feito com ingredientes de primeira qualidade e com fermentação natural.
Esse da foto, é de abóbora com alecrim, encomendei na quinta-feira e peguei na sexta-feira, recebi o pão quentinho, saído do forno na hora.
Fui até em casa ansiosa por esse momento de partir o pão:


3178.4412 - 9401.3808, são os telefones para encomenda dos pães que são de diversos sabores e formatos, atende também encomenda para eventos.
A Padaria funciona no Restaurante Ciranda, rua Fonte do Boi, 131, no bairro do Rio Vermelho.

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Neide Rigo no Festival Pitadas



Chegando a programação do Festival Pitadas.
E começaram a divulgação com chave de ouro: Chef Neide Rigo, do blog http://come-se.blogspot.com.br/
Além de grande chef, pesquisadora e blogueira, Neide é super-atenciosa, comecei um diálogo com ela via email onde estou podendo ver que ela é come se apresenta no blog.
Gosto de encontrar gente que acredita no que faz.

Bobó de Camarão





Tem coisa melhor na vida que uma comidinha de azeite?
O aroma que fica pela casa, a vontade que a comida chegue logo a mesa, bom mesmo é que todo dia tivesse comida de azeite em casa.
Lembro de quando trabalhava no Senac do Pelourinho, o cheiro do azeite já fazia parte da minha vida, parecia que tava impregnado em mim, que nunca mais ia sair, e o melhor era que eu gostava disso. Que privilegio ter trabalhado no templo da culinária baiana, lugar de estudar, pesquisar e preservar as nossas tradições culinárias.
Fiz um bobó para meu filho Vinicius, que teima em virar alagoano, mas vive cheio de saudades da comida da Bahia!
O aipim, o azeite e o coentro,  comprei na feirinha da Boca do Rio. O camarão veio de Salinas das Margaridas, presente de um amigo para meu marido.
A base do bobó pode ser aipim, inhame ou fruta-pão, a forma de preparo é a mesma.
E é claro que fiz meu bobó tendo como base a  receita do Senac Pelourinho que serve a melhor comida baiana que alguém pode comer.


Ingredientes para fazer um delicioso Bobó:
1 k de camarão fresco sem casca
1 k de aipim
100 g de cebola
100 ml de creme de leite
100 ml de leite de coco
sal a gosto
coentro picado (opcional)

Modo de Preparo:
Primeiro resolvi fazer um caldo de camarão para aproveitar as cascas e as cabeças, e também enriquecer mais ainda o nosso bobó. Descasquei o camarão, coloquei as cabeças e as cascas em uma panela, cobrir com água, acrescentei meia cebola em pedaços e talos de coentro, deixei cozinha bem, coei e reservei o caldo.
Cozinhei o aipim até ficar bem macio. Bati no liquidificador com a água do cozimento e um pouco caldo do camarão.
Processei a cebola até ficar uma pasta, pode ser ralada ou passada no liquidificador.
Levei uma panela ao fogo, coloquei um fio de azeite de dendê e refoguei a cebola e os camarões. Depois de bem refogadinho coloquei o creme do aipim, misturei bem, o cheirinho que subiu da panela tava maravilhoso, para melhorar ainda mais coloquei o leite de coco misturando bem para incorporar tudo, por último acrescentei o creme de leite e o coentro.  
A essa altura a casa toda tava com o cheirinho do bobó. 
Para a coisa ficar melhor, se é que é possível quando se fala de bobó, peguei alguns camarões inteiros e salteei no azeite doce. Usei para decorar o bobó e encher os olhos dos comensais.
Servir com arroz (aqui em casa só comemos o integral) e feijão fradinho.
Melhor impossível!
Mas mesmo assim Alagoas venceu, o filhão quis voltar para Alagoas: lá não tem engarrafamento mãe!

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Festival Pitadas - Festa da Gastronomia em Goiânia



Nos dias 10, 11, 12 e 13 de outubro de 2013 o espaço Oliveiras Palace recebe os visitantes do Nossa Pitada Festival Gastronômico. O público vai poder conferir a cozinha-show do milho, aulas com grandes nomes da gastronomia brasileira, como Mara Salles (Tordesilhas), Ana Soares (Mesa III), Neide Rigo (http://come-se.blogspot.com.br/ e colunista do Estadão) e Neka Menna Barreto (Buffet Neka Menna Barreto). Ainda serão realizadas vivências, mesas redondas, feira de alimentos, feira de artesanato, programação cultural, o Banquete Goiano e um coquetel com comidinhas inspiradas no chocolate.
Será um amplo cenário com elementos da área de alimentos e bebidas do Cerrado, que deve encantar os estudantes, profissionais, empresários e apreciadores da gastronomia. O visitante que está em busca de novidades tecnológicas e de novos sabores terá uma grata surpresa no Nossa Pitada, uma vez que um grupo de pesquisadores de São Paulo e Goiás trabalha para mostrar ao mundo as riquezas da região Centro-Oeste.
O objetivo desta festa, que será a primeira na capital do Estado, é apresentar e promover os ingredientes, os produtos e produtores goianos. O evento irá mostrar as referências gastronômicas do Cerrado.  Mais do que pequi e milho, existe uma imensa riqueza de sabores e aromas, num estado alegre e com muitos talentos por trás das panelas.
O festival vai explicar e discutir a cadeia produtiva de alimentos, desde a plantação até a sua transformação para valorizá-los. A causa dos alimentos orgânicos será abraçada sem dogmatismos.   Por meio do intercâmbio e interação com o segmento de alimentação, será promovida uma discussão sobre os maiores desafios para a cadeia gastronômica. Como ferramenta para atingir esses objetivos, serão catalogadas receitas, costumes, técnicas e as tradições alimentares regionais por meio de pesquisas.
Nós estaremos lá participando de todos os dias do Festival, esperamos te encontrar lá.

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Bolo de Puba


Lembram da Puba que comprei na ida a Barreiras - Oeste da Bahia?
Os produtores fazem bolinhas com a massa puba e seca no forno, depois de desidratada ela se conserva por um bom tempo.


Coloquei a Puba para hidratar: um litro de puba + um litro de leite.


Coloquei a noite na geladeira e de manhã ela estava bem hidratada, deu uma boa inchada.


Amassei bem com a colher até virar uma pasta. A puba absorveu todo o leite.


Passei a massa para um recipiente mais aberto: olhem o volume que ficou.


Parti para o preparo do bolo: no liquidificador bati 1 e 1/2 xícara de açúcar, 03 gemas, 200 ml de leite de coco, 1/2 xícara de manteiga, 1/2 colher de chá de sal, acrescentei essa mistura à massa puba hidratada. Misturei bem e coloquei em formas untadas com manteiga. Forno quente.


Rendeu esses dois bolos e mais um que assei em forma de bolo inglês.


Olha que maravilha ficou depois de desenformado!


Fiquei surpreendida com essa Puba, tanto pelo seu perfume e sabor, quanto pelo rendimento que deu.
Quando for de novo a Barreiras vou comprar mais, aí vou preparar cuscuz e mingau.

Pitadas - Festival Gastronômico



Festival-Pitadas

Esse Festival promete ser um grande encontro da culinária brasileira. Nomes como Mara Salles,  Neide Rigo, Ana Soares, estarão presentes realizando oficinas.
Imperdível para quem, como eu , pesquisa a nossa culinária, seus ingredientes e busca novas formas de utilizá-los.

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Medir e Pesar para que???

Medir, Pesar, Aquecer......coisas importantes em qualquer cozinha, principalmente quando se trata do preparo de receitas da confeitaria. Um pouquito a mais de fermento, um pouquito a menos de líquido parece que não vai interferir no resultado final, mas depois......olha o resultado, bolo que não cresce, biscoito que não dá o ponto, e por aí vai... Para facilitar nossa vida, uma tabelinha de Pesos, Medidas, Temperatura de Forno, para ninguém correr o risco de errar a mão na hora de preparar as delícias. Só não vale esquecer de consultar a tabelinha....




Medidas sem balança

O sucesso de uma receita depende muito das medidas usadas. Para isso, é necessário uma balança, xícaras, colheres e medidores, desde que observada a tabela de equivalência. Mas se você não tiver balança, utilize as medidas sem balança, relacionadas abaixo:



1 litro de qualquer líquido
1000 gramas 
1 copo de qualquer líquido
250 gramas
1 xícara de chá de farinha
100 gramas
1 xícara de chá de amido de milho
100 gramas
1 xícara de açúcar
130 gramas
1 xícara de chá (rasa) de banha ou manteiga
140 gramas
1 colher de sopa de banha ou manteiga
50 gramas
1 colher de sopa de açúcar
30 gramas
1 colher de sopa de amido de milho
25 gramas
1 colher de sopa de farinha
25 gramas
1 colher de sopa rasa de sal
5 gramas
1 colher de chá (rasa) de fermento
5 gramas



Medidas e equivalência dos ingredientes




1 xícara de chá
240ml
16 colheres de sopa
½ xícara (chá)
120ml
8 colheres (sopa)
1/3 xícara (chá)
80ml
5 colheres (sopa) mais 1 colher (chá)
¼ xícara (chá)
60ml
4 colheres (sopa)
1 colher (sopa)
15ml
3 colheres (chá)
1 colher (chá)
5ml
2 colheres (café)
1 pitada

1/8 de colher de chá


Importante: todas as medidas são usadas rasas, ou seja, depois de encher a xícara ou a colher, passa-se uma faca com lâmina reta para retirar o excesso. Existem à venda no mercado medidas-padrão de várias marcas.



Equivalência dos líquidos




1 litro
4 copos americanos
1000ml
1 xícara (chá)
16 colheres (sopa)
240ml
1 colher (sopa)
3 colheres (chá)
15ml
1 colher (chá)
1/3 colher (sopa)
5ml
1 colherinha (café)
1/2 colher (chá) 
2,5ml



Temperaturas do forno




Forno brando
de 140º a 150ºC
Forno regular
de 175º a 190ºC
Forno quente
de 200º a 230ºC
Forno muito quente
de 240º a 275ºC


Fonte: http://www.montesiao.pro.br/



Quiches a qualquer hora!!!!


Tô na fase das "Quiches"!!!! Essas tortinhas abertas, são maravilhosas a qualquer hora: no lanche, no almoço, jantar, para receber amigos, em festas.... Um coringa...
Essa é de frango, pimentão vermelho e salsinha!!! A simplicidade em forma de delícia!!!!


Quiche de Tilápia!!! Super saborosa!!! Essa foi para o almoço de domingo na casa de Vitor e Emmily!!!


Queijos: Gorgonzola, Provolone, Parmesão, Mussarela Defumada e Catupiry!!!
De comer rezando!!!


Massa Integral: Farinha Integral, Gérmen de Trigo e Gergelim.
Recheio de Alho Poró, Manjericão e Ricota. 
Delícia Saudável!!!!


Espinafre, Tomate Cereja e Ricota!!  
Quiche Integral sem Ovo!!


Olha elas depois de assadas!!!!


Só é acompanhar de uma saladinha verde com tomates cerejas!!!!


Escarola com Ricota!!! Sem Ovo.